terça-feira, 19 de agosto de 2008

Nasci de novo

No dia 29 de Junho de 2008, às 8 horas e 52 minutos, nasci de novo.
Tento relembrar todos os pormenores daquele dia mágico em que a L. nasceu de mim. Não quero que nada me escape daquelas horas de medo, de espectativa, de ansiedade, mas sobretudo de felicidade. Quero lembrar sempre da cara do R. quando lhe disse que tinha chegado a hora de irmos para a maternidade. Quero guardar cá dentro o beijo carinhoso e sempre tranquilizador da minha mãe antes de subir para a sala de dilatação. Não quero esquecer o olhar cúmplice do R. durante o trabalho de parto e as vezes que me soprou - a meu pedido - para me refrescar. Jamais quero que desapareça a sensação que senti quando ela saiu de dentro de mim... pequenina, quentinha e escorregadiça. Quero eternizar no meu coração a primeira troca de olhares entre nós e as lágrimas do R. quando a viu pela primeira vez. Quero viver tudo de novo todos os dias e a cada dia quero renovar os votos que lhe fiz ao ouvido: "Sê muito feliz, minha filhota". Um dia mais tarde quero contar à L. de forma romântica - tal como a minha mãe me contou - como tudo aconteceu e como eu nasci de novo. Será que vou conseguir?

2 comentários:

Ricardo Salvo disse...

Tenho a certeza de que conseguirás, sim. Acho que nem serão necessárias palavras para que a L. perceba como será amada.

LC disse...

Claro que consegues,Princesa. O R. tem razão pois não são precisas palavras. Só é preciso amar, proteger, ensinar a sonhar e depois ensinar a voar. Assim vais renascendo todos os dias...